Notícias

Natação paralímpica

Tóquio será a última escala oficial do colecionador de pódios Daniel Dias

Nadador, que tem 24 medalhas em três edições dos Jogos, 40 em Mundiais e 33 em Parapans, seguirá se dedicando ao esporte após a aposentadoria. Ao longo de dez anos, Governo Federal investiu mais de R$ 1,37 milhão na carreira do atleta
Publicado em 12/01/2021 20h29 Atualizado em 13/01/2021 16h57
12012021_daniel_dias_montagem.jpg

Um dos maiores nomes da história da natação paralímpica mundial e ícone do esporte paralímpico brasileiro, Daniel Dias anunciou nesta terça-feira (12.01) que vai se aposentar das piscinas após os Jogos de Tóquio, marcados para ocorrer entre 24 de agosto e 5 de setembro deste ano. Dono de 24 medalhas conquistadas nas Paralimpíadas de Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016, o paulista de Campinas (SP) informou em suas redes sociais que a decisão de encerrar a carreira estava tomada há algum tempo e que traçou novos planos profissionais.

A vida do atleta é feita de ciclos, fases, e por isso decidi parar, decidi dar adeus à piscina, porque vejo que minha contribuição com a natação paralímpica já foi excepcional, foi além do que eu esperava. Hoje vejo que posso continuar na natação de outra maneira, fazendo outras coisas e ajudando ainda mais a natação a ser referência no país e no mundo”

Daniel Dias, nadador, dono de 14 ouros em Jogos Paralímpicos 

“A vida do atleta é feita de ciclos, fases, e por isso decidi parar, decidi dar adeus à piscina, porque vejo que minha contribuição com a natação paralímpica já foi excepcional, foi além do que eu esperava. Hoje vejo que posso continuar na natação de outra maneira, fazendo outras coisas e ajudando ainda mais a natação a ser referência no país e no mundo”, comentou.

Agora, o nadador passará a se dedicar mais ao instituto que leva seu nome. Ele também é integrante do Conselho Nacional de Atletas e da Assembleia Geral do Comitê Paralímpico Brasileiro. “Quero me dedicar ainda mais para transformar vidas através dessa ferramenta linda. Faço as minhas palestras, clínicas de natação e vejo que essa maneira eu posso ajudar o próximo, inspirar as pessoas”, projetou.

Integrante do Bolsa Atleta desde 2010 e protagonista da categoria mais alta do programa, a Pódio, desde 2014, Daniel Dias coleciona, além das 24 medalhas paralímpicas (14 ouros), 33 medalhas em 33 provas disputadas em Jogos Parapan-Americanos, todas douradas, além de 40 pódios em mundiais, com 31 ouros. Ele também é o único brasileiro a ter três Troféus Laureus, considerado o “Oscar do Esporte”. O investimento do Governo Federal na carreira do nadador ao longo destes dez anos ultrapassa R$ 1,37 milhão.

O secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães, parabenizou o atleta pela trajetória e desejou sorte nas últimas Paralimpíadas que ele disputará. “O Daniel é um dos ícones do nosso esporte e fará muita falta nas piscinas. Mas, como ele mesmo disse, tenho certeza de que será fundamental fora delas, transformando vidas através dessa ferramenta social que é o esporte. Estaremos na torcida para que ele desfrute da melhor maneira dos Jogos de Tóquio e aumente ainda mais a coleção de medalhas”, comentou. 

Daniel prometeu se dedicar ao máximo às quatro provas individuais e ao revezamento que ele deve participar nas Paralimpíadas. “Estou treinando para que possa chegar lá e desempenhar a minha melhor versão, entregar ali meus 120%”. Mesmo com a despedida anunciada, ele deseja que os Jogos sejam um momento de felicidade.

“Não quero que seja uma despedida triste. Vai ser um momento de alegria, de muitos sorrisos. Eu não tenho dúvidas disso. E que nós possamos desfrutar destas últimas braçadas, últimos mergulhos, últimos apitos, enfim, que seja um momento de alegria não só para mim, mas para vocês que sempre me acompanharam, torceram e vibraram”, finalizou.

Aos 32 anos, o nadador tem má-formação congênita nos membros superiores e na perna direita e compete pela classe S5. Ele começou a carreira há 16 anos, inspirado por outro símbolo da natação brasileira, Clodoaldo Silva, que foi o grande nome dos Jogos Paralímpicos de Atenas, em 2004. Atualmente, Daniel mora e treina em Bragança Paulista (SP), cidade-sede do seu instituto. Ele é casado e pai de três filhos, Asaph (6), Daniel (5) e Hadassa (1).

Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania