Notícias

INTEGRA BRASIL

Sétimo webinar da Jornada do Projeto Integra Brasil debate o tema “A Mulher e o Futebol”

Evento reuniu time de peso de convidados e palestrantes, entre eles Kleiton Lima, ex-técnico da Seleção Brasileira Feminina, e Janaína Queiroz, atleta do Palmeiras e da Seleção
Publicado em 19/11/2020 19h34

Na reta final de sua programação, a 1ª Jornada de Seminários do Projeto Integra Brasil realizou, nesta quinta-feira (19.11), o 7º e antipenúltimo webinar da série iniciada em junho. O evento, promovido pela Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, fez as mulheres entrarem em campo e contou com um time de peso, tanto entre palestrantes quanto nas participações especiais.  

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves; o secretário Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor (SNFDT) da Secretaria Especial do Esporte, Ronaldo Lima; e o diretor de Sustentabilidade e Responsabilidade da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Diogo Netto, participaram do evento virtual, que debateu o tema “Futebol e Mulher”.

Os meus sonhos de criança, os sonhos de um dia poder jogar uma competição sul-americana, um Mundial, e de um dia vestir a camisa da Seleção Brasileira, foram realizados através dos pés dessas meninas maravilhosas"

Kleiton Lima, ex-treinador da Seleção Brasileira Feminina de Futebol

Já o time de palestrantes foi composto por Kleiton Lima, ex-técnico da Seleção Brasileira Feminina e atual secretário de Esportes de Itanhaém (SP); Viviane Petinelli, secretária Executiva Adjunta do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; Janaína Queiroz, atleta do Palmeiras e da Seleção Brasileira; Alberto Simão, diretor de futebol feminino do Palmeiras; e Cristiane Britto, secretária Nacional de Políticas para as Mulheres.  

“Como a mulher entra em campo no Projeto Integra Brasil? O projeto trabalha com inserções em campo e os clubes são os nossos parceiros para que ali dentro a gente mobilize e sensibilize a todos sobre os temas referentes à mulher. Temos os eventos temáticos, com atividades vivenciais por meio do futebol, principalmente nas áreas mais vulneráveis nos municípios brasileiros, para que, por meio da prática esportiva, possamos ensinar valores e levar conhecimento em relação a direitos humanos e, também, mostrar a política pública materializada no atendimento a todos os que participam dos eventos”, explicou Viviane Petinelli. 

A secretária Executiva Adjunta do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos lembrou duas ações do Integra Brasil realizadas em 2018, antes da pandemia: a primeira foi em um jogo entre Palmeiras e Flamengo, quando as equipes entraram em campo com faixas da campanha de tolerância zero em relação à violência contra a mulher. Um outro evento foi realizado em São José dos Pinhais (PR), quando centenas de meninas e adolescentes se reuniram para falar sobre futebol, direitos humanos, prevenção às drogas e valores esportivos. 

Em sua palestra, Cristiane Britto lembrou diversas conquistas recentes das mulheres em torno do futebol. A secretária Nacional de Políticas para as Mulheres lembrou que, em 2018, os jogos da Copa do Mundo Feminina, disputada na França, foram transmitidos pela primeira vez ao vivo na tevê aberta. 

Ela ressaltou que a CBF igualou as diárias e prêmios entre Seleções Femininas e Masculinas e que, recentemente, uma emissora de tevê contratou uma narradora e tem uma equipe 100% feminina para transmitir o futebol feminino nas tardes de domingo. Cristiane Britto ainda deu o exemplo de uma fabricante australiana que desenvolveu uma chuteira para o formato dos pés das mulheres com o objetivo de aumentar o conforto e diminuir lesões, já que os pés femininos são anatomicamente diferentes dos masculinos.


Pelos pés delas
 

Com 22 anos de experiência como treinador, 15 deles no futebol feminino, Kleiton Lima, que comandou o Brasil na Copa do Mundo da Alemanha, em 2011, e foi idealizador do Projeto Sereias da Vila, do Santos, apresentou um histórico sobre a evolução da Seleção Brasileira Feminina de Futebol. 

“A modalidade ainda é jovem. De forma organizada, temos isso a partir de 1996, com o primeiro ano da modalidade sendo olímpica, e os times brasileiros abrindo espaço para o futebol feminino de maneira profissional”, destacou. “É importante ressaltar que, apesar de a modalidade ser jovem, o Brasil sempre teve destaque porque é um país onde nascem meninas que têm talento, que têm virtudes, que desejam ser atletas profissionais e que têm sonhos de criança como os meninos”, continuou. 

Kleiton fez questão de lembrar que foi justamente no futebol feminino que ele pôde realizar seus sonhos de criança. “A minha vida foi pautada para primeiro ser um atleta de futebol profissional. Não cheguei a ter destaque, porém cheguei a concluir a minha carreira como atleta de futebol profissional. Os meus sonhos de criança, os sonhos de um dia poder jogar uma competição sul-americana, um Mundial, e de um dia vestir a camisa da Seleção Brasileira, foram realizados através dos pés dessas meninas maravilhosas. Eu fui treinador da Seleção Brasileira durante quatro anos, de 2007 até 2011. Estive à frente da Seleção Sub-20 e depois da principal e essas meninas me deram a oportunidade de realizar meus sonhos de criança”. 

O futebol para mim foi tudo. Ele me tirou da favela, das dificuldades, trouxe coisas maravilhosas, e o que posso falar para vocês são três coisinhas: respeito, disciplina e honestidade. A gente tem que levar isso para vida"

Janaína Queiroz, jogadora de futebol

O treinador ainda falou sobre os avanços na gestão do futebol feminino e fez um apelo para que a modalidade fortaleça sua organização para que as atletas brasileiras possam brilhar ainda mais. “Temos visto hoje uma gestão (na CBF) preocupada com esse movimento das mulheres no futebol. Já viu como filão de business também, porque as mulheres têm levado torcedores aos campos. A última Copa do Mundo foi transmitida para mais de 150 países. A audiência foi enorme e isso mostra a importância de a gente ter uma organização, principalmente dentro do nosso país, que possa proporcionar a essas atletas formação, da iniciação até o profissional, para que possam conquistar cada vez mais títulos em todas as competições”, orientou Kleiton Lima. 

Respeito, disciplina e honestidade 

Dona de diversos títulos nacionais e internacionais e com passagens pelo futebol da Rússia e Portugal, Janaína Queiroz falou sobre o crescimento da modalidade no Brasil e, para isso, a zagueira do Palmeiras lembrou uma partida realizada esta semana.  

“As pessoas que dizem que o futebol feminino não tem visibilidade são pessoas que não amam o futebol feminino e que não amam o esporte. Há dois dias, jogamos uma semifinal contra o Corinthians e foram mais de um milhão de pessoas visualizando. É impossível dizer que futebol feminino não dá público. Esse jogo foi prova disso”. 

Aos 32 anos, Janaína lembrou sua carreira, disse que planeja se tornar treinadora quando parar de jogar e contou como o futebol mudou sua vida. “Eu busquei, fui atrás dos meus sonhos, não desisti e conquistei vários títulos. Através do futebol consegui comprar uma casa para minha mãe e dar boas condições para minha família. O futebol para mim foi tudo. Ele me tirou da favela, das dificuldades, trouxe coisas maravilhosas, e o que posso falar para vocês são três coisinhas: respeito, disciplina e honestidade. A gente tem que levar isso para vida”. 

Integra Brasil   

Criado em 2019, o Integra Brasil tem como lema a frase “O futebol nos une” e é uma iniciativa da Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor (SNFDT) da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e a Confederação Brasileira de Futebol. O projeto conta, ainda, com o apoio de diversos clubes de futebol, universidades e governos estaduais e municipais.   

O Integra Brasil visa, usando o futebol como catalizador, sensibilizar e enfrentar violações de direitos humanos, ampliar o acesso e o alcance da prática esportiva no país, e também visa alertar a sociedade para práticas danosas, como o uso abusivo do álcool e os perigos do consumo de drogas, entre outros.   

A 1ª Jornada de Seminários do Projeto Integra Brasil foi iniciada em junho com um webinar promovido pela Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas - SENAPRED. Na ocasião, foi debatido o tema “Combate às drogas, com ênfase no público jovem e nas suas implicações para a saúde física, mental e emocional”.    

O segundo webinar da Jornada foi realizado em julho. Promovido pela Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, o evento debateu o tema “O Poder do Futebol”.     

Já o terceiro webinar da Jornada, em agosto, foi promovido pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) e debateu o tema “Futebol livre de dopagem”.    

O quarto webinar, realizado em setembro e promovido pela Secretaria Nacional da Juventude, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, debateu o tema “Dê um like para a vida” e teve como objetivo aprofundar o debate em torno de um problema muito grave e que cada vez mais tem atingido crianças e jovens no Brasil: o suicídio e a automutilação.   

O quinto webinar da programação foi realizado no dia 15 de outubro e, promovido pela Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, debateu o tema “Futebol Formando o Futuro”. 

O sexto evento, no fim de outubro, foi promovido pela Secretaria Nacional da Família, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e debateu o tema “A Família entra em Campo”. 

O penúltimo webinar será realizado na próxima quinta-feira (26.11). A 1ª Jornada do Projeto Integra Brasil será encerrada no dia 10 de dezembro, com o último evento.  

Diretoria de Comunicação - Ministério da Cidadania