Notícias

Esporte paralímpico

Primeira-dama e secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania visitam instalações do CT Paralímpico, em São Paulo

Representantes do Governo Federal acompanharam seletiva de atletismo para os Jogos de Tóquio, vacinação de atletas e assinatura de acordo entre CPB e Secretaria Especial do Esporte para capacitação de profissionais
Publicado em 08/06/2021 15h07
08062021_ctparalimpico.png

Fotos: Luiz Roberto Magalhães/ Min. Cidadania

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, acompanhada do secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães, pelo secretário adjunto do Esporte, André Alves, e pelo secretário do Paradesporto, Agtônio Guedes, visitaram, nesta terça-feira (08.06), o Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

Saio daqui com o coração cheio de alegria por ver que as pessoas com deficiência estão tendo seus direitos respeitados e que, por meio desses direitos, eles poderão ter um bom desempenho em suas modalidades. O esporte realmente é transformador e traz mudanças para aquelas pessoas que ficaram por tanto tempo invisíveis na sociedade”

Michelle Bolsonaro, primeira-dama

Eles foram recebidos pelo presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Mizael Conrado, e cumpriram uma agenda tripla no principal centro de treinamento do esporte paralímpico do país, um dos maiores do mundo.

Os representantes do Governo Federal acompanharam algumas provas do primeiro dia da seletiva do atletismo, que definirá os atletas da modalidade que disputarão os Jogos Paralímpicos de Tóquio. Nesta terça, atletas de todas as classes disputaram as provas de 100m e 400m.

Na sequência, a comitiva visitou as instalações do CT Paralímpico, que abrigam uma estrutura de ponta para competições e treinamentos de 19 modalidades. Michelle Bolsonaro, Marcelo Magalhães, André Alves e Agtônio Guedes também acompanharam a vacinação de um grupo da delegação brasileira que disputará as Paralimpíadas no Japão. Nesta terça, 220 pessoas receberam a segunda dose da vacina, entre eles o multicampeão paralímpico da natação Daniel Dias.

“É um momento ímpar para o esporte brasileiro termos essa segurança e alegria de ir a Tóquio em segurança. Sempre falei que os Jogos para acontecerem tinham que ser seguros para todos: atletas e pessoal do Japão. Está tudo caminhando para que isso ocorra da maneira mais segura e para que a gente possa desempenhar o melhor em Tóquio”, declarou Daniel Dias, que ficou contente com a visita de Michelle Bolsonaro. “A primeira-dama é uma pessoa muito querida. Fiquei feliz por reencontrá-la. Ela sabe do carinho que tenho por ela”, continuou o nadador.

Acordo de cooperação

A agenda incluiu também a assinatura de uma carta de intenção para a fixação de um acordo de cooperação técnica entre CPB e Secretaria Especial do Esporte. O termo oficial, que será assinado em data ainda a ser definida, prevê a oferta, por parte do CPB, de cursos de capacitação aos profissionais que atuam nos programas da Secretaria Especial do Esporte voltados para o paradesporto.

“Nossa missão é promover o esporte paralímpico, da iniciação ao alto rendimento, e a inclusão da pessoa com deficiência na sociedade”, destacou Mizael Conrado. “Esse nosso espaço vai contribuir para a formação de muitos campeões, e, mais do que isso, vai construir a cidadania de muita gente e dar oportunidade para que muitas pessoas acessem estruturas que todo mundo acessa”, afirmou Mizael Conrado.

“Nosso sonho é dar oportunidade. No dia em que todas as pessoas com deficiência tiverem as mesmas oportunidades que as pessoas que não têm essas limitações, com toda certeza nossa sociedade será melhor”, reforçou o presidente do CPB, que fez um convite especial à primeira-dama para que ela faça parte da delegação do Brasil nos Jogos Paralímpicos em Tóquio.

“É um momento de alegria participar desse encontro, conhecer as instalações do Comitê Paralímpico e saber do empenho de todos, da Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Defesa, do Comitê Olímpico Internacional, do Comitê Paralímpico Internacional e do Ministério da Saúde para promover essa vacinação, dando segurança aos nossos atletas”, afirmou a primeira-dama, que prometeu se empenhar para acompanhar os atletas no Japão. “Saio daqui com o coração cheio de alegria por ver que as pessoas com deficiência estão tendo seus direitos respeitados e que por meio desses direitos eles poderão ter um bom desempenho em suas modalidades. O esporte realmente é transformador e traz mudanças para aquelas pessoas que ficaram por tanto tempo invisíveis na sociedade. É um trabalho lindo”, completou Michelle Bolsonaro.

Ter um equipamento deste em operação, com a capacidade de oferecer uma gama tão ampla de modalidades, é a prova de que o governo brasileiro investe no esporte e trabalha para dar as melhores condições para que nossos atletas possam desenvolver seus talentos. Ver os atletas sendo vacinados nos traz tranquilidade e tenho certeza de que eles vão, mais uma vez, nos encher de orgulho nas Paralimpíadas"

Marcelo Magalhães, secretário especial do Esporte

Já Marcelo Magalhães ressaltou a qualidade do Centro de Treinamento e reforçou a importância desse legado dos Jogos Rio 2016 para o esporte brasileiro. “O Brasil é uma potência mundial no esporte paralímpico e basta uma visita a este Centro de Treinamento para que qualquer pessoa entenda o porquê. Trata-se de um CT de altíssimo nível e, sem dúvida, é um dos mais completos que já conheci, seja do esporte olímpico ou paralímpico. Poucos lugares no mundo contam com uma estrutura como essa”, elogiou o secretário especial do esporte.

“Ter um equipamento deste em operação, com a capacidade de oferecer uma gama tão ampla de modalidades com essa estrutura é a prova de que o governo brasileiro investe no esporte e trabalha para dar as melhores condições para que nossos atletas possam desenvolver seus talentos e defender o Brasil nas maiores competições mundiais. Ver os atletas sendo vacinados nos traz tranquilidade e tenho certeza de que eles vão, mais uma vez, nos encher de orgulho nas Paralimpíadas. Além disso, o documento que assinamos aqui hoje nos abre a porta para que o desporto paralímpico seja ainda mais bem trabalhado em nossos programas, contribuindo ainda mais para o fortalecimento do nosso esporte e abrindo mais portas para nossas crianças e jovens”, continuou Marcelo Magalhães.

Por fim, Agtônio Guedes destacou a importância do acordo firmado entre a Secretaria Especial do Esporte e o CPB. “Quando falamos em igualdade de oportunidades para as pessoas com deficiência temos que pensar que é necessário termos a capacitação dos profissionais para atenderem essas pessoas. O CPB tem essa expertise, através de um programa de educação à distância que pode chegar a todo o Brasil. O que vamos fazer é ampliar isso para que todos os projetos da Secretaria Especial do Esporte sejam atendidos por esse programa. Isso vai permitir que os nossos profissionais, lá na ponta, no interior do Brasil, tenham capacitação para oportunizar às crianças e jovens com deficiência o acesso à prática esportiva”.

O CT Paralímpico

Inaugurado em 23 de maio de 2016, o Centro de Treinamento Paralímpico ocupa uma área de 95 mil metros quadrados e conta com piscina coberta com dimensões olímpicas e arquibancada para mil torcedores, além ginásio multiuso frequentemente usado para goaball, basquete em cadeira de rodas, badminton e vôlei sentado, campos de futebol de cinco (para deficientes visuais) e de futebol de sete (paralisados cerebrais).

O atletismo tem à disposição uma pista de Certificação 1 da World Athletics, antiga Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF), e arquibancada para mil torcedores, além de pista indoor para aquecimento. Completam a estrutura as quadras de tênis em cadeiras de rodas, espaços para bocha, judô, tênis de mesa, halterofilismo e taekwondo, além das áreas de fisioterapia e regeneração física de atletas e um alojamento com 86 apartamentos e capacidade para quase 300 hóspedes.

O investimento total para a construção do CT foi de R$ 305 milhões, sendo que R$ 187 milhões foram aportados pelo então Ministério do Esporte e o restante pelo governo de São Paulo. A gestão do CT é de responsabilidade do Comitê Paralímpico Brasileiro.

Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania