Notícias

Tóquio 2021

Ministro da Cidadania detalha agenda de compromissos em Tóquio

Além de representar o Governo Brasileiro na abertura dos Jogos Olímpicos, João Roma terá encontros com autoridades do setor esportivo e com empresários locais na capital japonesa
Publicado em 22/07/2021 03h55 Atualizado em 22/07/2021 18h47
22072021_ministro_1150_A.jpeg

Foto: Germano Bona/ Min. Cidadania

O ministro da Cidadania, João Roma, representante do Governo Brasileiro para a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, iniciou nesta quinta-feira (22.07) sua agenda de visita ao Japão. O ministro desembarcou na capital japonesa na noite de quarta-feira (21.07), quando foi recebido no aeroporto de Narita pelo embaixador do Brasil no Japão, Eduardo Saboia, e se encontrou com o presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Paulo Wanderley.

Em Narita, João Roma e sua comitiva cumpriram os protocolos sanitários exigidos pelo governo japonês para a entrada de todos os visitantes credenciados para os Jogos de Tóquio, o que, para o ministro, é fundamental para assegurar que as Olimpíadas sejam realizadas de forma segura para todos.

“A equipe aqui no Japão é muito metódica. Eles exalam disciplina e então você tem muitos protocolos a seguir com bastante rigor nesses procedimentos”, explica João Roma. “Mas você não percebe nenhuma anormalidade ou dificuldade. As coisas estão fluindo bem, em especial com a delegação brasileira, que está muito bem estruturada”, prossegue o ministro.

O Brasil tem uma tradição muito grande na participação em eventos internacionais. Temos uma delegação com o maior número de atletas na história em uma edição das Olimpíadas fora de casa. Isso mostra tradição e know-how em eventos internacionais, uma presença marcante"

João Roma, ministro da Cidadania

João Roma destacou a expressiva presença de atletas do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio e a tradição do país quando o assunto são os megaeventos esportivos. “O Brasil tem uma tradição muito grande na participação em eventos internacionais. Temos uma delegação com o maior número de atletas na história em uma edição das Olimpíadas fora de casa. Tem outros países que tem 40 atletas ou menos e o Brasil tem 301 atletas, com pouquíssimos incidentes. Isso mostra tradição e um know-how em eventos internacionais, uma presença marcante”.

Na noite desta quinta-feira em Tóquio, manhã de quinta no Brasil, João Roma acompanha a estreia da Seleção masculina no torneio olímpico de futebol. O Brasil enfrenta a Alemanha no Estádio Internacional de Yokohama, em uma reedição dupla: a final dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e a final da Copa do Mundo de 2002, esta última também disputada em Yokohama. A Seleção foi bem-sucedida nos dois compromissos: faturou o ouro no Rio e o troféu do Mundial em 2002 no estádio japonês.

Simbolismo e superação

Para o ministro, os Jogos de Tóquio representam uma oportunidade de aproximar ainda mais o COB do governo brasileiro, que é o maior investidor do Brasil no esporte olímpico e paralímpico do alto rendimento. Por meio do tripé formado pela Bolsa Atleta e Bolsa Pódio, pela Lei de Incentivo ao Esporte e pela Lei das Loterias, o governo federal investe anualmente R$ 745 milhões no esporte brasileiro para garantir que os atletas tenham as melhores condições de se preparar para defender o país em megaeventos como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

“Conversei bastante com o presidente do Comitê Olímpico do Brasil, Paulo Wanderley. Todos lamentam o momento de pandemia, que limita o brilho e a dimensão de um evento desta magnitude. Mas, de toda forma, há um simbolismo presente. É um momento singular, que vai ficar marcado para a história como exemplo de superação”, ressalta o ministro. Em Tóquio, os Jogos Olímpicos serão disputados sem a presença de público nas arenas.

“Por causa dos desdobramentos da pandemia, esta se tornou a Missão mais desafiadora da história do COB. Além de uma operação extremamente complexa, nossos atletas foram colocados à prova e mostraram mais do que nunca resiliência, coragem e foco para chegarem a Tóquio prontos para dar o melhor. Antes mesmo de começar estão sendo Jogos históricos”, disse Paulo Wanderley.

Segundo o ministro, os dois conversaram também sobre intensificar a sinergia de ações entre o Governo Brasileiro, que patrocina diretamente via Bolsa Atleta 242 dos 302 atletas (80%) presentes em Tóquio, e cooperações adicionais entre a entidade esportiva e o Governo Federal. A agenda de João Roma prevê uma visita à sede do COB em Tóquio, quando o ministro deverá se encontrar com alguns atletas da delegação.

Cultura e economia

Além dos compromissos esportivos, João Roma cumprirá eventos oficiais com integrantes do governo japonês e empresários locais, além de participar de uma homenagem diplomática ao empresário brasileiro Walter Saito e ao Cônsul-Geral do Brasil em Nagoia, o embaixador Nei Futuro Bittencourt.

“É uma programação muito bem estruturada. Dada essas limitações e impedimentos, é uma agenda intensa, com contatos relevantes, tanto governamentais como bilaterais e até simbólicos, como a fixação de uma comenda da ordem do Rio Branco, que foi destinada pelo presidente Bolsonaro”, relevou João Roma.

Em Tóquio, o ministro também se encontrará com o presidente do Conselho de Diretores do Grupo Mitsui, Tatsuo Yasunaga. “Há uma grande relação não só cultural entre os dois países, mas também econômica, que é bastante relevante. Vou utilizar esse momento para fortalecer esses laços”, adianta João Roma.

A agenda ainda inclui um encontro com o ministro da Educação, Cultura, Esporte e Ciência e Tecnologia do Japão (MEXT), Hagiuda Koichi, e uma reunião com o Vice-Diretor-Geral do Comitê Olímpico Internacional (COI), Pere Miró, entre outros compromissos.

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio será nesta sexta-feira (23.08), a partir das 8h30 (de Brasília). O ministro retorna ao Brasil na próxima segunda-feira (26.07).

Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania