Notícias

Prevenção às drogas

Ministério da Cidadania lança cartilha sobre efeitos e consequências do uso de drogas na gestação

Material vai ser usado pelos supervisores e visitadores do Programa Criança Feliz com foco na prevenção
Publicado em 30/04/2021 16h47
30042021_gestantes.png

Para atuar na prevenção ao uso de drogas durante a gestação, o Ministério da Cidadania elaborou e lançou a cartilha "Conhecendo os efeitos do uso de drogas na gestação e as consequências para os bebês". O material foi produzido pela Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (Senapred) e pela Secretaria Nacional de Atenção à Primeira Infância (SNAPI), e deve ser utilizado na capacitação de visitadores e supervisores do Programa Criança Feliz e pelo público em geral.

O objetivo é fazer com que os profissionais do programa trabalhem na prevenção ao uso de drogas, lícitas e ilícitas, na gestação, amamentação e durante todo o período em que a mãe estiver cuidando de seu filho na primeira infância. Assim, busca-se proteger as mães e suas crianças”

Quirino Cordeiro, secretário nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas

O documento traz explicações sobre o que são as drogas, quais são as mais consumidas pelos brasileiros e os efeitos que podem provocar, sobretudo durante a gestação. Aborda, ainda, as consequências do consumo de bebidas alcoólicas, do tabaco, da maconha, da cocaína e do crack para a mãe e para o desenvolvimento do bebê.

O material reforça o papel do visitador e do supervisor no apoio às famílias e traz direcionamentos para onde as pessoas com dependência química podem ser encaminhadas, como Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Unidades Básicas de Saúde, ambulatórios, Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), Unidades de Acolhimento, Comunidades Terapêuticas, Hospitais Gerais, Hospitais Psiquiátricos, Hospitais-Dia, Serviços de Emergências, Grupos de Mútua Ajuda, dentre outros.

“A cartilha publicada pelo Ministério da Cidadania traz informações importantes para o esclarecimento dos supervisores e visitadores do Criança Feliz sobre os graves malefícios das drogas para as mães e seus bebês", reforça o secretário da Senapred, Quirino Cordeiro. "O objetivo é fazer com que os profissionais do programa trabalhem na prevenção ao uso de drogas, lícitas e ilícitas, na gestação, amamentação e durante todo o período em que a mãe estiver cuidando de seu filho na primeira infância. Assim, busca-se proteger as mães e suas crianças”, completa.

O Criança Feliz está presente em 2.899 municípios brasileiros, de 26 estados e do Distrito Federal. Ao todo, mais de 1,2 milhão de famílias já foram atendidas, incluindo mais de 1 milhão de crianças e 273,8 mil gestantes, a partir da realização de 43,8 milhões de visitas.

"A gente acredita que muitas gestantes não têm a informação de que o uso de drogas lícitas ou ilícitas faz mal para o bebê, traz complicações para o seu desenvolvimento. A Primeira Infância é uma fase em que precisamos ter um olhar cauteloso porque isso vai influenciar em todo o desenvolvimento da criança", explica a secretária da SNAPI, Luciana Siqueira. "Temos um carinho enorme por esse material, que vai contribuir com o atendimento que fazemos às gestantes. O nosso visitador terá acesso a essa cartilha para poder orientar as mães acerca das implicações do uso de drogas no período da gestação", acrescenta.

Diretoria de Comunicação - Ministério da Cidadania

Conteúdo relacionado