Notícias

Parceria

Ministério da Cidadania celebra protocolo de intenção com Marinha do Brasil para apoio a comunidades ribeirinhas

Objetivo é promover ações para o desenvolvimento de regiões de difícil acesso em áreas da Amazônia e do Pantanal
Publicado em 22/02/2021 18h14 Atualizado em 23/02/2021 16h05
22022021_marinha_1150.jpg

Foto: Rafael Carvalho/Min. Cidadania

Nesta segunda-feira, 22.02, o Ministério da Cidadania firmou protocolo de intenção com a Marinha do Brasil (MB) com o propósito de promover ações de atenção às comunidades ribeirinhas e a promoção do desenvolvimento humano em regiões de difícil acesso. Assinaram o documento o ministro Onyx Lorenzoni, o secretário executivo do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto, e o Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante de Esquadra Marcos Silva Rodrigues.

Essa conjugação de esforços que o Estado brasileiro faz é a forma de a gente não apenas levar a identidade ou construir a cidadania, mas de literalmente construir pontes entre a capacidade de trazer as pessoas para um momento de melhor prosperidade, seja se vestindo melhor, morando melhor, comendo um pouco melhor” 

Ministro Onyx Lorenzoni

O apoio às ações poderá ser prestado pelos meios navais, aeronavais e de fuzileiros navais da Marinha, sediados nas regiões da Amazônia e Pantanal, empregados em ações cívico-sociais e de assistência hospitalar.

“Essa conjugação de esforços que o Estado brasileiro faz, entre ministério, Presidência da República e Marinha Brasileira é a forma de a gente não apenas levar a identidade ou construir a cidadania, mas de literalmente construir pontes entre a capacidade de poder trazer as pessoas para um momento de melhor prosperidade, seja se vestindo melhor, morando melhor, comendo um pouco melhor”, afirmou o ministro Onyx Lorenzoni.

Será construído um Plano de trabalho para estabelecimento de responsabilidades técnicas e financeiras das ações, para que o ministério e a Marinha programem ações conjuntas, mobilizando unidades, agentes e serviços para a atuação.

“O acordo mostra a presença do Estado em locais desassistidos. Essa cerimônia tem um significado grande, pois vai levar exatamente a pessoas que não sabem nem o que é cidadania o que representa cidadania, e, assim, isso os torna cada vez mais brasileiros”, afirmou o Almirante de Esquadra Marcos Silva Rodrigues. “A Marinha se sente honrada de estar participando, de estar cooperando nesse projeto, que não é de governo, mas é um projeto do Estado brasileiro”, finalizou.

O secretário Barreto ressaltou que a relevância do acordo está na oportunidade de desenvolvimento das comunidades. “Quando a gente olha o projeto em si, os navios, o que eles são capazes de fazer numa região tão desassistida como é de fato a região da população ribeirinha, fica claro o potencial”, afirmou. “Num país que são muitos países juntos, se a gente conseguir chegar lá com cidadania e fazer a união das nossas forças, só quem tem a ganhar é o cidadão brasileiro. E esse é o propósito de qualquer governo, atender o cidadão”.

O protocolo entrará em vigor a partir da data de sua publicação no Diário Oficial da União, pelo prazo de 12 meses, podendo ser prorrogado, com limite de 60 meses.

Diretoria de Comunicação