Notícias

Prevenção às drogas

Em webinário, Ministério da Cidadania lança projeto Comunidades Terapêuticas Livres de Tabaco

Iniciativa é da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (Senapred), em parceria com o Ministério da Saúde, por meio do Instituto Nacional de Câncer (INCA)
Publicado em 10/06/2021 19h06 Atualizado em 10/06/2021 19h10

A Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (Senapred) do Ministério da Cidadania lançou nesta quinta-feira (10.06) o projeto Comunidades Terapêuticas Livres de Tabaco. A iniciativa, resultado de uma parceria com o Ministério da Saúde, por meio do Instituto Nacional de Câncer (INCA), foi apresentada durante um webinário transmitido ao vivo pelo Youtube.

"Não é novidade que o tabaco é um mal terrível em nossa sociedade, responsável pela morte de milhares de pessoas a cada ano em nosso país, seja pelo uso ativo ou passivo dessa substância", afirmou o secretário especial adjunto de Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, Alexandre Reis de Souza. "Estamos tratando esse tema com o objetivo de realizar a prevenção e a promoção de saúde nas comunidades terapêuticas. É uma das bandeiras da nossa política de tratamento", completou.


Para o secretário nacional da Senapred, Quirino Cordeiro, o projeto é um passo além no trabalho já realizado por essas entidades. "O Governo Federal tem trabalhado e investido nas comunidades terapêuticas como entidades que realizam ações na recuperação de pessoas com dependência química. Agora vamos dar um passo adicional para ajudar essas entidades a colaborarem para que seus acolhidos possam abandonar também a dependência do tabaco", destacou.

Não é novidade que o tabaco é um mal terrível em nossa sociedade, responsável pela morte de milhares de pessoas a cada ano em nosso país, seja pelo uso ativo ou passivo dessa substância. Estamos tratando esse tema com o objetivo de realizar a prevenção e a promoção de saúde nas comunidades terapêuticas. É uma das bandeiras da nossa política de tratamento"

Alexandre Reis de Souza, secretário especial adjunto de Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania 

"Fizemos um levantamento nas comunidades terapêuticas financiadas hoje pela Senapred e identificamos que mais de 30% delas permitem o uso do tabaco pelos acolhidos. Na verdade, a ideia é que a gente possa aproveitar o momento de recuperação e acolhimento para ajudá-los a se livrarem do vício e da dependência do tabaco", ressaltou. "Isso, com certeza, vai ajudá-los a melhorar sua qualidade de vida e a sua saúde", completou o secretário, que também apresentou no evento a nova Política Nacional sobre Drogas.

O webinário contou ainda com a participação da representante do INCA e secretária executiva da Comissão Nacional para a Implementação da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CONICQ), Tânia Cavalcante. "Um dos grandes desafios que sempre tivemos no nosso horizonte foi a integração da política nacional de controle do tabaco com as questões da política sobre drogas. Hoje estamos em um momento de grande maturidade", ponderou a secretária, que apresentou ainda as ações do Brasil referentes ao tabagismo.

"Nós temos naturalizado o uso de tabaco nos pacientes com transtornos mentais sem e com dependência química como se fosse um mal menor", sinalizou o coordenador-geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas do Ministério da Saúde, Rafael Bernardon. "Essa iniciativa da Senapred nos traz luz a esse problema que merece enfrentamento e campanha no nosso lado do Ministério da Saúde", acrescentou.

"É muito bem-vindo e em momento oportuno esse grande projeto. As comunidades terapêuticas do Brasil precisam ter um alinhamento com relação ao uso do tabaco", reforçou o presidente da Confederação Nacional de Comunidades Terapêuticas, Adalberto Calmon. Na primeira etapa do programa, o INCA promoverá uma capacitação com as entidades interessadas.

O evento contou também com palestras da chefe da Coordenação de Prevenção e Vigilância do INCA, Liz Maria de Almeida, da chefe da Divisão de Controle do Tabagismo e Outros Fatores de Risco (DITAB), Andréa Reis, além de Vera Borges, da Divisão de Controle do Tabagismo do INCA.

Diretoria de Comunicação - Ministério da Cidadania