Campeões da vida, um projeto que conecta esporte e reinserção social


Obstáculos, derrotas, perdas, recomeço, desafios, insistência, persistência, foco, trabalho, fé, resiliência, superação, conquistas e vitórias. Essa coleção de palavras diz tanto da realidade cotidiana dos esportistas de alto rendimento quanto das pessoas que buscam resgatar a dignidade, o convívio social e vínculos perdidos a partir da dependência de álcool e drogas.

Foi pensando nessa zona de intersecção, que conecta de um lado a parceria do Governo Federal com as comunidades terapêuticas, um dos braços de atuação da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (Senapred), e de outro o Bolsa Atleta, da Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento, que surgiu o projeto Campeões da Vida, no âmbito do Ministério da Cidadania, que reúne as duas áreas.  

A ideia é promover instantes de contato e escuta entre atletas olímpicos e paralímpicos e cidadãos que passaram pelo processo de tratamento em comunidades terapêuticas financiadas pelo Governo Federal Brasileiro. Nessas ocasiões, promove-se uma inversão de funções.

O atleta olímpico e paralímpico, habituado a frequentar o pódio em competições nacionais e internacionais, entrega ao dependente químico em processo avançado de retomada de sua trajetória uma medalha de “campeão da vida”. Um símbolo de uma conquista e um incentivo para que ele persista na luta pela reinserção produtiva nos âmbitos econômico, familiar e afetivo.