Sobre a OCDE

Publicado em 16/07/2020 15h47 Atualizado em 15/09/2020 18h02

 

Membros                  Estrutura                  Instrumentos legais                  Peer reviews

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é um organismo internacional composto atualmente por 37 países, fundada em 1961 e com sede em Paris (França). Constitui-se em um fórum em que os governos podem trabalhar em conjunto para compartilhar experiências e buscar soluções para problemas comuns. A OCDE sucedeu a Organização para a Cooperação Econômica Europeia (OCEE), criada em 1948 com a finalidade de estimular a cooperação entre nações do continente atingidas pela II Guerra Mundial.

A OCDE se dedica à pesquisa e a estudos para o aperfeiçoamento das políticas públicas nas mais diversas áreas e à troca de experiências entre países membros e parceiros. Um método frequentemente usado é o de revisão pelos pares (do inglês peer review), que permite que os especialistas governamentais possam se encontrar com suas contrapartes de outros países para comparar políticas públicas em cada área com as melhores práticas disponíveis internacionalmente.

Com grau elevado de diversificação, as atividades da OCDE contemplam diferentes áreas de políticas públicas, como política econômica, governança pública, trabalho, ciência e tecnologia, governança corporativa, educação, meio ambiente, comércio, agricultura, economia digital, investimento, entre outras.

Essas atividades envolvem etapas distintas:

   (i)     levantamento de estatísticas e elaboração de estudos e análises pelo secretariado;

   (ii)    discussão sobre políticas públicas e intercâmbio de experiências nacionais;

   (iii)   estabelecimento de instrumentos legais e padrões internacionais (convenções, decisões, recomendações e declarações); e

   (iv)   avaliação de políticas públicas e compromissos nacionais, no marco de revisões por pares.

A missão da OCDE é promover políticas melhores para vidas melhores (Better policies for better lives), com foco na melhoria do bem-estar econômico e social da população, de modo a auxiliar os governos a:

•   Restaurar a confiança nos mercados e nas instituições que os fazem funcionar;
•   Restabelecer as finanças públicas saudáveis como base para o crescimento econômico sustentável;
•   Fomentar e apoiar novas fontes de crescimento por meio da inovação, de estratégias de “crescimento verde” e do desenvolvimento de economias emergentes; e
•   Garantir que pessoas de todas as idades possam desenvolver as habilidades para trabalhar de forma produtiva e satisfatória.